top of page
  • Foto do escritorKuarazy

O CINEMA JAPONÊS


https://lagrandepoderosablog.files.wordpress.com/2014/05/cinema-japones-na-liberdade1.jpg
 

O cinema japonês é uma das mais ricas e diversificadas expressões artísticas do mundo, que reflete a cultura, a história e a sociedade do país. Desde o final do século XIX, quando os primeiros filmes foram exibidos no Japão, até os dias de hoje, o cinema japonês produziu obras-primas de diferentes gêneros, estilos e diretores, que influenciaram e encantaram gerações de espectadores.

 

Por Osmilde Bispo (@osmildebispo)


O cinema chegou ao Japão em 1896, quando os irmãos Lumière exibiram seus filmes em Yokohama. Logo depois, outros cineastas estrangeiros trouxeram suas câmeras e projetores para o país, registrando cenas da vida cotidiana, da natureza e da cultura japonesa. Esses filmes eram chamados de katsudō shashin (fotografias em movimento) e eram vistos com curiosidade e fascínio pelo público.

Os primeiros filmes produzidos por japoneses datam de 1899, quando o fotógrafo Shibata Tsunekichi filmou uma dança de gueixas chamada Geisha no Teodori. Em 1908, o empresário M. Pathe fundou a primeira companhia cinematográfica japonesa, a Yoshizawa Shōten, que contratou o diretor Shōzō Makino para fazer filmes de ficção. Makino é considerado o pai do cinema japonês e o criador do jidaigeki (filme de época), que retrata histórias de samurais, ninjas e ronins. Um dos seus filmes mais famosos foi Chūshingura (1913), baseado na lenda dos 47 ronins.

O cinema japonês nessa época era mudo, mas não silencioso. Os filmes eram acompanhados por música ao vivo e pela narração dos benshi, artistas que interpretavam os diálogos e os comentários dos personagens, além de explicar o contexto e o enredo das cenas. Os benshi eram muito populares e influentes, chegando a determinar o sucesso ou o fracasso de um filme.

Em 1923, um grande terremoto atingiu Tóquio e destruiu grande parte da indústria cinematográfica da cidade. Muitos estúdios se mudaram para Quioto e Osaka, onde surgiram novos gêneros e estilos de filmes, como o gendai-geki (filme contemporâneo), que abordava temas sociais e urbanos, e o bungei eiga (filme literário), que adaptava obras da literatura clássica e moderna japonesa.

Um dos cineastas chineses mais conhecido por seu longo tempo de produção é Akira Kurosawa.

Akira Kurosawa foi um cineasta e pintor japonês que dirigiu 30 filmes em uma carreira de mais de cinco décadas. Ele é amplamente considerado como um dos cineastas mais importantes e influentes da história do cinema. Alguns de seus filmes mais famosos são Rashomon (1950), Os Sete Samurais (1954), Yojimbo (1961) e Ran (1985). Ele trabalhou com o ator Toshiro Mifune em 16 filmes. Akira recebeu vários prêmios internacionais, incluindo a Palma de Ouro, o Leão de Ouro, o Oscar Honorário e a Legião de Honra.

Ele influenciou muitos diretores de diferentes países e épocas, que admiravam seu estilo dinâmico, sua técnica inovadora e sua habilidade de contar histórias. Alguns exemplos são: Ingmar Bergman; Martin Scorsese; Quentin Tarantino, entre outros.


“o que chama atenção [no cinema japonês] é o forte hibridismo de culturas, ou seja, a vontade de criar uma mistura totalmente nova a partir da composição de diferentes elementos culturais cuidadosamente selecionados”. (Inuhiko Yomota, pesquisador de história do cinema).


Referência:


Revisado por:

Renata Meneses (@renatamenesess)

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Post: Blog2_Post
bottom of page