• Kuarazy

CINEMA MUDO


Imagem de Gerd Altmann por Pixabay
 

Já imaginou ir ao cinema e assistir a um filme sem diálogo, sem efeitos sonoros e sem uma trilha que acompanha os personagens?

Pois era justamente assim os primeiros filmes que foram produzidos, não tinham diálogos, O Cinema Mudo.

 

Por Osmilde Bispo (@osmildebispo)


Com a descoberta da fotografia foi grande a necessidade de fazer registro de momentos do dia a dia, e logo com o surgimento do cinematógrafo 1895 se pode gravar, capturar e projetar filmes. A primeira projeção aconteceu em 28 de dezembro de 1895 em Paris, A chegada do Trem, filme dos Lumiére, que deixou os que estavam assistindo assustados, por pensarem que o trem iria invadir a tela de projeção.

Os primeiros filmes do cinema mudo as imagens eram simples, sem movimento de câmera, sem diálogos e uma música que acompanhava toda a cena. Os filmes da época eram simples, para se ter uma ideia essas produções mostravam o cotidiano das pessoas, trabalhadores saindo do trabalho, trens em movimento, crianças se alimentando, aos poucos esses temas ficaram desgastados, desinteressantes e era preciso de algo que mexesse com a imaginação do público.

Georges Méliès foi quem deu outra cara para os filmes. Como ator de teatro, ilusionista, ele trouxe para o cinema as técnicas que usava com isso, produziu filmes com stop motion, transposição de imagem, fusão, utilizou estúdios, figurantes, iluminação artificial e cenários, tudo isso proporcionou ao telespectador emoção e inovação. Um dos filmes mais marcantes de Méliès é A Viagem à Lua .

Mesmo com tanto avanço, ainda não se tinha encontrado uma maneira de gravar o som em sincronia com as imagens, não que isso fosse algo que atrapalhasse o público de ir assistir a um filme. Alguns passaram a ter um pequeno diálogo entre os personagens e ao invés de ouvir o que eles falavam aparecia uma tela com o que o ator falou.

Aos poucos os cineastas iam experimentando algo novo em seus filmes, filmes de comédia com uma música combinando com o ritmo das imagens, assim como os filmes de suspense e drama. Uma outra técnica adotada foi a mímica, os atores usavam movimentos expressivos para passar emoção necessária aos espectadores. O primeiro filme com diálogos foi lançado em 1927, O Cantor de Jazz.

Um grande nome do cinema mudo foi Charles Chaplin, ator, diretor, produtor e compositor. Seu personagem Carlitos, como ficou conhecido no Brasil, fez grande sucesso. Chaplin deu uma nova cara para os filmes, com histórias simples mas que tinham humor que divertiam o público, expressão e a música acompanhava o ritmo do personagem.

Ao passar do tempo ele começou a produzir filmes que faziam críticas, mostrando também, sua posição política é o caso do filme Tempos Modernos de 1936, criticava a situação da classe operária e dos pobres, utilizando conceitos marxistas elaborados por Karl Marx. Outro filme marcante foi O Grande Ditador de 1940, seu primeiro filme com falas mas que, ainda tinha traços do cinema mudo. O Grande Ditador Chaplin critica o fascismo e a ditadura de Adolf Hitler.

O cinema mudo deixou seu legado na história do cinema. Grandes obras da época são consideradas verdadeiras obras primas e que influenciou outros filmes, movimentos e mesmo sem falas entre os personagens, o que importa é a emoção que o filme passa e com certeza isso não faltou.

Referência:

https://www.portalsaofrancisco.com.br/arte/cinema-mudo

https://coletivonerd.com.br/historia-cinema-mudo/


Revisado por:

Renata Meneses (@renatamenesess)



6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo